Pedra na chuteira? Neymar historicamente tem desempenho ‘difícil’ contra De Bruyne. Leia!

Após excelente primeiro tempo, com vários ‘recortes’ de domínio das ações ofensivas, o PSG, ao ver um Manchester City remodelado por Guardiola para a segunda etapa, cedeu ao clube inglês uma vitória por 2×1, que deixa os franceses na dificílima condição obrigatória de fazer no mínimo 2 gols no jogo de volta para conquistar uma vaga à final da Champions League.

Neymar e De Bruyne, protagonistas da decisão, tiveram seus melhores momentos indo de encontro aos períodos de brilhantismo de seus clubes. Porém, um agravante fatal fez o belga levar a melhor: O gol, que até então traria o empate aos cityzens.

Essa foi a quarta vez em que os jogadores se enfrentaram, sendo a segunda em um jogo eliminatório. 

O histórico aponta larga vantagem para De Bruyne, que além de hoje, venceu as ‘versões’ de Neymar em Seleção Brasileira (2×1 pelas quartas de final da Copa do Mundo, em 2018) e Barcelona (3×1 pelas fase de grupos da Champions League, em 2016).

No entanto, Neymar saiu vitorioso deste duelo apenas na mesma fase de grupos de 2016, com uma sonora goleada aplicada pelo Barcelona, por 4×0, no Camp Nou.

Caberá ao camisa 10 parisiense, e seu estrelado elenco, bater o avassalador City de Guardiola, e De Bruyne, em um jogo que decidirá o futuro de uma das equipes na competição, coisa jamais feita por ele antes.

Ao seu favor, conta o famoso ditado da bola: ‘Tabus foram feitos para serem…Quebrados!’

Sobre Luccas Almeida 95 Artigos
18 Anos, jornalista amador, produtor de conteúdo digital, designer gráfico e CEO do perfil "Jornalismo Moralizador", ativo no Instagram.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*